CONSIDERAÇÕES SOBRE VERDADE EM TEMPOS DE FAKE NEWS

Rudá da Costa Perini, Vanise Gomes de Medeiros

Resumo


Neste artigo, almeja-se discutir o funcionamento da noção de verdade no discurso jornalístico. Para tanto, faremos um percurso filosófico, jornalístico e discursivo para refletir sobre a relação sujeito-língua-verdade-realidade a partir da Análise do Discurso pecheuxtiana. Buscamos iluminar o modo como o discurso jornalístico se constitui socialmente como verdade e, além disso, problematizar a relação dual verdade-mentira.


Palavras-chave


Verdade; Análise do Discurso; Discurso jornalístico

Texto completo:

PDF

Referências


AUTHIER-REVUZ, J. Ces mots qui ne vont pas de soi. Paris, Larousse, 1995.

BENETTI, M. O jornalismo como gênero discursivo. In: Revista Galáxia. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, n. 15, p. 13-28, jun. 2008.

CAMARGO, G. A. Sobre o conceito de verdade em Nietzsche. In: Revista Trágica: estudos sobre Nietzsche. vol. 1, nº 2. p. 93-112, 2008.

CHAUÍ, M. Convite à Filosofia. 13ªed. São Paulo: Editora Ática, 2008.

EVANS, R. J. In Defense of History. Londres: Granta Books, 1997.

FRANCISCATO, C. E. A fabricação do presente: como o jornalismo reformulou a experiência do tempo nas sociedades ocidentais. São Cristóvão: Editora UFS/Fundação Oviedo Teixeira, 2005.

GADET, F; PÊCHEUX, M. A língua inatingível: o discurso na história da linguística. Campinas: Editora RG, 2010.

GINSBURG, C. O fio e os rastros: verdadeiro, falso, fictício, São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

GUEDES, N. G. T. Jornalismo e Construção Social da Realidade: Uma reflexão sobre os desafios da produção jornalística contemporânea. In: XXXII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2009, Curitiba. Anais... Curitiba: 2009.

HARTOG, F. Evidência da história: o que os historiadores veem. Belo Horizonte: Autentica, 2013.

HENRY, P. A história não existe? In: ORLANDI, Eni (org.). Gestos de leitura: Da história no arquivo. 4ªed. Editora da Unicamp: 2014.

KLEMPERER, V. LTI: a linguagem do Terceiro Reich. Rio de Janeiro: Contraponto, 2009.

MARIANI, B. S. C. O comunismo imaginário: práticas discursivas da imprensa sobre o PCB (1922-1989). 1996, 254 f. Tese (Doutorado em Linguística). Pós-Graduação em Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas. Campinas: UNICAMP, 1996.

MEDEIROS, V. G. Uma reflexão sobre intervenções dos escritores e o efeito verdade. In: Flores, Giovanna G. Benedetto; Gallo, Solange Maria Leda; Lagazzi, Suzy; Neckel, Nádia Régia Maffi; Pfeiffer, Claudia Castellanos; Zoppi-Fontana, Monica G. (Org.). Análise de Discurso em Rede: Cultura e Mídia. 1ª ed. Campinas: Pontes, 2017, v. 3, p. 131-142.

_______________. “Jornal, arquivo, instrumento linguístico” In; MEDEIROS, V.; MARIANI, B. (orgs.) Ideias linguísticas: formulação e circulação no período JK. RJ: FAPERJ; SP: RG, 2010.

MEDINA, C. Notícia, um produto à venda: jornalismo na sociedade urbana e industrial. 2ªed. São Paulo: Summus, 1988.

MENEZES, E. S. A possibilidade de inserção e aplicabilidade da análise de discurso na formação jornalística: uma revisão teórica com vistas à análise da cobertura das eleições presidenciais de 2014 no Brasil. 2017, 219f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada). Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Católica de Pelotas. Pelotas: PUC, 2014.

NIETZSCHE, F. W. Fragments posthumes. Automne 1885 – automne 1887: Oeuvres philosophiques complètes, XII. Paris: Editions Galimard, 1978.

ORLANDI, E. P. Análise de Discurso. In: ORLANDI, Eni Puccinelli. Introdução às ciências da linguagem: discurso e textualidade. Campinas: Pontes Editores, 2006.

PÊCHEUX, M. Análise automática do Discurso (AAD-69). [1969] In: GADET, Françoise. & HAK, Tony. (orgs). Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. 3ª Ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 1997.

_____________. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. [1975] 5ª Ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2014.

PERINI, R. C. A batalha do impeachment/golpe: os sentidos de um sítio bélico de significância no discurso jornalístico. 2019, 149f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Linguagem). Pós-Graduação em Estudos de Linguagem, Universidade Federal Fluminense. Niterói: UFF, 2019.

ROBIN, R. Memória Saturada. Campinas: Editora da Unicamp, 2016.

TAVARES, L. As notícias e as coisas: para uma genealogia da verdade no jornalismo. 2015, 52f. Monografia (Graduação em Jornalismo). Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Feral de Santa Catarina. Santa Catarina: 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.22409/cadletrasuff.2019n59a682

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN (online) 2447-4207
ISSN (impresso) 1413-053X


Indexado em:

Periódicos Capes    Diadorim Sumarios.org   Sumarios.org Livre Latindex MLA DOAJ


Licença Creative Commons
O periódico Cadernos de Letras da UFF utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0).