Memória e performance feminina na cena contemporânea

Andréa Stelzer

Resumo


O artigo analisa as relações entre memoria feminina e performance teatral nos espetáculos Melancolia e manifestação, da argentina Lola Arias, e Eu não sou bonita, da espanhola Angelica Liddell. Ambas são autoras e atrizes de seu próprio espetáculo e, por esse traço em comum, busca-se analisar de que forma elas trabalham com suas memórias, a fim de realizar uma cena performativa.


Palavras-chave


memória; performance; feminismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ARFUCH, L. O espaço biográfico: dilemas da subjetividade contemporânea. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2010.

BUTLER, J. Problemas do gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2016.

------. Quadros de guerra: quando a vida é passível de luto? Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2015.

FOSTER, H. O retorno do real. São Paulo: Cosac Naify, 2014.

KLINGER, D. Escritas de si, escritas do outro: o retorno do autor e a virada etnográfica. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.22409/cadletrasuff.2019n58a636

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN (online) 2447-4207
ISSN (impresso) 1413-053X


Indexado em:

Periódicos Capes    Diadorim Sumarios.org   Sumarios.org Livre Latindex MLA DOAJ


Licença Creative Commons
O periódico Cadernos de Letras da UFF utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0).