Uma análise discursiva da BNCC antes e depois do golpe de 2016: educação para o combate às discriminações?

Alice Moraes Rego de Souza, Maria Cristina Giorgi, Fabio Sampaio de Almeida

Resumo


Este artigo busca fazer um registro dos diferentes conflitos acerca de entendimentos de educaçao no contexto do golpe de Estado em 2016. Parte-se de uma análise de excertos da Base Nacional Comum Curricular, pautada em consideraçoes teóricas de Foucault (1987, 1996, 2004) sobre conceitos como saber, poder e discurso.


Palavras-chave


base nacional comum curricular – BNCC; discursos neoliberais; minorias sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


APPLE, Michael W. A política do conhecimento oficial: faz sentido a ideia de um currículo nacional? In.: MOREIRA, Antonio Flavio; TADEU, Tomaz. Currículo, cultura e sociedade. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2013. p. 71 - 106.

ADRIÃO, Theresa Maria de Freitas et al. Grupos empresariais na educação básica pública brasileira: limites à efetivação do direito à educação. Educação & Sociedade, Campinas, v. 37, n.134, p. 113-131, mar. 2016. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2018.

BAUMAN, Zygmunt. Los retos de educación en la modernidad líquida. Barcelona: Gedisa, 2005.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular – 2ª versão. SEB/MEC, Brasília, DF, 2016. Disponível em: . Acesso em: 05 jul. 2018.

_________. Base Nacional Comum Curricular - 3ª versão. SEB/MEC, Brasília, DF, 2017. Disponível em: . Acesso em: 05 jul. 2018.

_________. Base Nacional Comum Curricular (Educação Infantil e Ensino Fundamental) - última versão. SEB/MEC, Brasília, DF, 2018. Disponível em: . Acesso em: 05 jul. 2018.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Foucault e a Análise do discurso em Educação. Cadernos de Pesquisa, n. 114, p.197-223, nov. de 2001. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2011.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir. Petrópolis: Vozes, 1987.

_______. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: Nau, 1996.

______. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

GIORGI, Maria Cristina. Seleção para a rede pública estadual de ensino: o que se espera do professor de língua estrangeira? 2005. 127 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) - Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

______. Da Escola Técnica à Universidade Tecnológica: o lugar da educação de nível médio no Plano de Desenvolvimento Institucional do CEFET/RJ. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Letras, Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2012.

GUIMARÃES, Ailton Vitor. Editorial 26.1. Trabalho & Educação. v.26, n.1, p. 9-13, jan-abr, 2017.

MAINGUENEAU, Dominique. Gênese dos discursos. São Paulo: Parábola, 2008.

PAVAN, Ruth; BACKES, José Licínio. O processo de (des)proletarização do professor da educação básica. Revista Portuguesa de Educação, v. 29, p. 35-58, 2016. Disponível em: acesso em 25 jun. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.22409/cadletrasuff.2018n57a616

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN (online) 2447-4207
ISSN (impresso) 1413-053X


Indexado em:

Periódicos Capes    Diadorim Sumarios.org   Sumarios.org Livre Latindex MLA DOAJ


Licença Creative Commons
O periódico Cadernos de Letras da UFF utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0).