LUÍS DE CAMÕES NAS ENCRUZILHADAS DE UMA ANTROPOFAGIA LUSA

Paulo Braz

Resumo


É sabido que a noção de antropofagia, em matéria de cultura, em muito ultrapassa a questão modernista brasileira e o contexto literário em que produziu Oswald de Andrade. A lição antropofágica atinge uma dimensão trans-histórica que em muito nos auxilia a compreender o conceito de contemporaneidade, assim como o formula Giorgio Agamben. Assim, este trabalho busca assinalar a contemporaneidade da obra camoniana por meio da deglutição antropofágica do monumento que (apesar) dele foi feito – engendrado por poetas portugueses dos séculos XX e XXI, nomeadamente Jorge de Sena e Manuel de Freitas –, a qual enseja uma leitura de Camões enquanto poeta.


Palavras-chave


Luís de Camões; antropofagia; contemporaneidade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22409/cadletrasuff.2015n50a38

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN (online) 2447-4207
ISSN (impresso) 1413-053X


Indexado em:

Periódicos Capes    Diadorim Sumarios.org   Sumarios.org Livre Latindex MLA DOAJ


Licença Creative Commons
O periódico Cadernos de Letras da UFF utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0).