A MODERNIDADE PREDATÓRIA NAS CRÔNICAS DE LIMA BARRETO

André Dias

Resumo


O presente artigo analisa as crônicas “As enchentes” (1915), “A derrubada” (1914), “Sobre o desastre” (1917), “Megalomania” (1920) e “Melhoramentos” (1922), de Lima Barreto. Nele, busca-se avaliar como o escritor questiona as concepções de modernidade defendidas pelos setores hegemônicos da sociedade brasileira do início do século XX. Por fim, serão discutidas a atualidade e a pertinência das questões abordadas pelo autor.


Palavras-chave


Lima Barreto; crônicas; sociedade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22409/cadletrasuff.2015n50a34

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN (online) 2447-4207
ISSN (impresso) 1413-053X


Indexado em:

Periódicos Capes    Diadorim Sumarios.org   Sumarios.org Livre Latindex MLA DOAJ


Licença Creative Commons
O periódico Cadernos de Letras da UFF utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0).