O contato entre o português e as línguas bantu em Moçambique: a alternância de atitudes sobre o estatuto social das línguas em jovens universitários

Letícia Cao Ponso

Resumo


Este artigo pretende discutir os estatutos atribuídos às línguas autóctones moçambicanas do tronco bantu e ao português, língua ex-colonial de contato, por jovens es­tudantes dos primeiros semestres do curso de Letras da Universidade Eduardo Mondlane na cidade de Maputo. 


Palavras-chave


Atitudes linguísticas; línguas moçambicanas; etnografia da fala.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTENHOFEN, Cléo V. & BROCH, Ingrid K. “Fundamentos para uma ‘pedagogia do plurilinguismo’ baseada no modelo de conscientização linguística (language awareness)”. In: BEHARES, Luis (org.). Atas do V Encuentro Internacional de Investigadores de Políticas Linguísticas. Montevideo: Universidad de la República e Associación de Universidades Grupo Montevideo / Núcleo Educación para la Integración, 2011. p. 15-22.

ANGROSINO, Michael. Etnografia e Observação Participante. Porto Alegre: ARTMED, 2008.

BARCELOS, A. M. B. “Metodologia de pesquisa das crenças sobre aprendizagem de línguas: estado da arte”. In: Revista Brasileira de Linguística Aplicada. v.1 n. 1. 2001. pp. 71-92.

BLOM, Jan-Petter; GUMPERZ, John. “O significado social na estrutura linguística: alternância de códigos na Noruega”. In: RIBEIRO, Bianca Telles; GARCEZ, Pedro M. Sociolinguística Interacional. 2ª edição revista e ampl. São Paulo: Loyola, 2002.

BRIGGS, Charles L. Learn how to ask: a sociolinguist appraisal of the role of the interview in social science research (studies in the social and cultural foundations of languages). Cambridge: Cambridge University Press, 1986.

CHIMBUTANE, Feliciano. Rethinking Bilingual Education in Post-Colonial Contexts. Clevedon/Avon: Multilingual Matters, 2011.

ECKERT, Penelope. Linguistic variation as social practice. Oxford: Blackwell, 2000.

FIRMINO, Gregório. A questão linguística na África pós-colonial: o caso do português e das línguas autóctones em Moçambique. Maputo: Promedia, 2002.

¬¬¬¬¬¬¬¬GEERTZ, Clifford. “O senso comum como sistema cultural”. In: O saber local. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

_______. Nova Luz sobre a Antropologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

GOFFMAN, Erving. Interactional Ritual: essays on face-to-face behavior. New York: Anchor Books, 1967.

______. Footing. Semiotica, v.25, n.1/2, p.1-29, 1979.

GONÇALVES, Perpétua. A génese do português de Moçambique. Lisboa: Imprensa Nacional/Cda Moeda. 2010.

GUMPERZ, John. “Language in Social Interaction”. In: Proceedings of the 8th International Congress of Anthropological and Ethnological Sciences, pp. 408-411. Tokyo: Science Council of Japan.

______. Discourse Strategies. Cambridge: Cambridge University Press, 1982a.

______. Language and Social Identity. Cambridge: Cambridge University Press, 1982b.

HYMES, Dell. Foundations in Sociolinguistics: an etnography aproach. Philadelphia: University os Pennsylvania Press, 1974.

LABOV, William. Sociolinguistic Patterns. Pennsylvania: University of Pennsylvania Press, 1972.

MARIANI, Bethania. Colonização linguística. Campinas: Pontes, 2004.

______. “Língua, colonização e revolução: discurso político sobre as línguas em Moçambique”, 2011, no prelo.

NGOMANE, Nataniel. Lusofonia: quem quer ser apagado? Semanário SOL, 06/01/2012.

NGUNGA, Armindo. “O estatuto das línguas nas instituições de ensino em Moçambique”. Comunicação apresentada no Seminário da UNESCO sobre a disseminação das línguas locais. Lusaka, Zâmbia, 1985.

_______ . “O papel das línguas moçambicanas no desenvolvimento socioeconômico do país”. Trabalho apresentado no I Seminário Nacional de Balanço do Ensino Bilíngue em Moçambique. Maputo, 2008.

ORTNER, Sherry. Making Gender: The Politics and Erotics of Culture. Beacon Press, 1996.

______. Anthropology and Social Theory: Culture, Power, and the Acting Subject. Duke University Press, 2006.

_______. “Teoria na antropologia desde os anos 60.” Mana 17 (2), 2011 [1984].

PATEL, Samima Amade. Olhares sobre a educação bilíngue e seus professores em uma região de Moçambique. Dissertação de Mestrado. Campinas, SP: 2006a.

______. Um olhar para a formação de professores de educação bilíngue em Moçambique: foco na construção de posicionamentos a partir do lócus de enunciação e actuação. Tese de doutorado. Orientador: Marilda do Couto Cavalcanti. Instituto de Estudos da Linguagem. Campinas, SP, 2012.

PATEL, Samima et al. Relatório do debate sobre Estratégias para o alargamento da Educação Bilingue. Maputo: INDE, 1997.

PEIRANO, Mariza. A favor da Etnografia. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.22409/cadletrasuff.2016n53a302

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN (online) 2447-4207
ISSN (impresso) 1413-053X


Indexado em:

Periódicos Capes    Diadorim Sumarios.org   Sumarios.org Livre Latindex MLA DOAJ


Licença Creative Commons
O periódico Cadernos de Letras da UFF utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0).