Políticas linguísticas para o ensino de língua estrangeira em Niterói: um olhar crítico

Luana Franco Rocha

Resumo


Este trabalho tem por objetivo analisar duas políticas linguísticas para o ensino de língua estrangeira imple­mentadas na cidade de Niterói. Partindo de uma me­todologia qualitativo-descritiva, o trabalho responde às questões propostas por Cooper (1997) de forma a desenvolver uma avaliação de ambos os projetos. Os resultados obtidos nos levam a duas principais questões: a formação de professores e a violência nas escolas. 


Palavras-chave


Políticas linguísticas; Ensino de língua estrangeira; Avaliação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Janice. A terceirização do ensino de línguas estrangeiras em escolas de ensino formal.São Paulo: USP, 2010.

ATLAS BRASIL. Disponível em: . Aceso em: 1 de março de 2016.

BAYLON, Christian. Sociolinguistique. Société, langue et discours. Paris, Nathan, 2ª Ed, 1996.

BRASIL. Senado Federal. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: nº 9394/96. Brasília : 1996.

BUATOIS, Aurélie. La d´emarche FOS appliquée à l’enseignement bilingue au Brésil. Faciliter l’int´egration des futurs lycéens de la première section bilingue publique du pays. Grenoble: Université Stendhal, 2014.

CALVET, Louis-Jean. La sociolinguistique. Paris, P.U.F, 1993.

__________. As políticas linguísticas. São Paulo, Parábola, 2007.

CHAUDENSON, Robert. Politique et aménagement linguistiques. Des concepts revisités à la lumière de quelques expériences, In: Juillard C., Calvet L.-J. (Èds), Les politiques linguistiques, mythes et réalités, FMA, Beyrouth, 1996, pp 115-126.

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO. Disponível em Acesso em: 20 de maio de 2016.

COOPER, Robert L. La planification linguística y el cambio social.Traduzido para o espanhol por José M. Perazzo. Cambridge University Press. 1997.

FLUMINESE, O. Disponível em: Acesso em: 16 de fevereiro de 2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: UNESP, 2000.

________. Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 1987, 23ª reimp.

GARCÍA, Ofelia. Bilingual Education in the 21st Century : A Global Perspective. West Sussex : Wiley¬ Blackwell, 2009, versão eletrônica.

GLOBO, O. Disponível em: http://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/o-rio-o-maior-estado-francofono-do-pais-diz-ministra-francesa-8333139. Acesso em: 16 de fevereiro de 2016.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Disponível em: . Acesso em: 18 de fevereiro de 2016.

LAGARES, Xoán. Ensino do espanhol no Brasil: uma (complexa) questão de política linguística. In: NICOLAIDES, SILVA, TILIO, ROCHA (orgs.) Política e políticas linguísticas. Campinas: Pontes, 2013, pp. 181-198.

MONTEIRO, Joana; ROCHA, Rudi. Drug battles and school achievement: evidence from Rio de Janeiro's favelas. In: Texto para discussão 006, 2013. Rio de Janeiro: Instituto de economia UFRJ, 2013.

NITEROI QUE QUEREMOS. Disponível em: Acesso em: 18 de fevereiro de 2016.

NITERÓI TRANSPORTES E TRÂNSITO. Disponível em: . Acesso em: 16 de fevereiro de 2016.

PREFEITURA DE NITERÓI. Disponível em: . Acesso em: 16 de fevereiro de 2016.

RAJAGOPALAN, Kanavillil. Política linguística: do que é que se trata, afinal? In: NICOLAIDES, SILVA, TILIO, ROCHA (orgs.) Política e políticas linguísticas.Campinas: Pontes, 2013, pp 19-42.

ROCHA, Luana. O ensino de língua estrangeira em Niterói: um olhar político lunguístico. Niterói: UFF, 2016.

ROSELLI, M. Le projet politique de la langue française. Genèse et usages de la langue comme objet d’intervention publique : le rôle de l’Alliance française, Politix, n° 36, décembre, 1996, pp 73-94.

SOARES, Magda. Linguagem e escola: Uma perspectiva social. 10ª ed. São Paulo: Ática, 1993.




DOI: http://dx.doi.org/10.22409/cadletrasuff.2016n53a266

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN (online) 2447-4207
ISSN (impresso) 1413-053X


Indexado em:

Periódicos Capes    Diadorim Sumarios.org   Sumarios.org Livre Latindex MLA DOAJ


Licença Creative Commons
O periódico Cadernos de Letras da UFF utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0).